Ir direto para menu de acessibilidade.
ptenfres

Botânica Aplicada

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA APLICADA

 

A Secretaria Integrada (SI) é responsável por secretariar de forma integrada os programas de pós-graduação vinculados ao ICN.

Para mais informações: Acesse o site aqui. 

 

O Programa de Pós-Graduação em Botânica Aplicada é voltado para o incremento na prospecção de espécies potenciais para utilização e de produtos naturais, além do aumento na produção vegetal, tendo como objetivo central formar profissionais mestres e doutores com alto nível técnico e acadêmico para atuar nas diferentes áreas da Botânica como docentes e pesquisadores, possuindo como foco a aplicação dos conhecimentos nessa área da ciência para otimizar diferentes atividades humanas. Dessa forma, os mestres e doutores formados no Programa de Pós-Graduação em Botânica Aplicada possuem como missão o compromisso com a ciência e com a sociedade orientando ações humanas para contribuir para um manejo mais sustentável de sistemas naturais e agrícolas. O Programa possui, normalmente, processos seletivos anuais para o ingresso nos cursos e mestrado e doutorado. O aporte financeiro para o desenvolvimento dos projetos de pesquisa ocorre por meio do Proap e através de financiamentos do CNPq e Fapemig a projetos de docentes vinculados ao Programa. O Programa possui duas linhas de pesquisa: - "Estrutura e Funcionamento das Plantas" que trata dos trabalhos de pesquisa e aplicação de conhecimentos da estrutura das plantas, tanto sobre a morfologia e arquitetura externas como da citologia, histologia e anatomia bem como as suas relações com a produção vegetal, reprodução, adaptação a diferentes ambientes, manejo de populações perturbadas, recuperação de áreas degradadas, prospecção de produtos naturais, preservação e manejo de espécies nativas. - "Biossistemática Vegetal" que compreende estudos florísticos e sistemáticos em táxons vegetais de Monilophyta e Fanerógamas de biomas brasileiros, com ênfase em Campos, Campos Rupestres e Cerrados promovendo identificação, descrições, chaves, dados fenológicos e fitogeográficos. Nesses estudos são empregados dados de naturezas diversas, sobretudo informações morfológicas, moleculares, citotaxonômicas, de biologia reprodutiva e biogeográficas, buscando reconstruir a história evolutiva dos táxons. Dessa forma, fornecendo subsídios tanto para projetos sistemáticos e evolutivos quanto para estudos e políticas voltados à conservação e manejo de espécies da flora brasileira.